Marble Surface
 
  • Fernanda Proença

Resenha: A Filha da Floresta - Franny Billigsley


Título original: Chime

Autor(a): Franny Billigsley.

Editora: Novo Conceito.

Ano: 2016


Histórias comuns começam quando um belo estranho chega e tudo dá errado. Mas não me refiro a uma história comum,

Estou dizendo, eu deveria ter sido enforcada.

MEU NOME É BRIONY LARKIN. E EU SOU UMA BRUXA.


Na infância Briony descobriu que era uma bruxa e que deveria manter isso em segredo, caso contrário, ela seria condenada a morte.


Acatando tudo o que sua madrasta dizia, Briony passou a evitar ser vista no pântano, e passa a ser mais retraída e passa a ignorar os seres mágicos que vivem no pântano.


Algum tempo depois, a madrasta de Briony acaba morrendo por envenenamento e apesar de todos acreditarem que ela havia cometido suicídio, Briony acredita que a madrasta havia assassinada e ela tentava descobrir quem era o responsável pela sua morte. Com isso, ela agora tinha assumido a tarefa de cuidar de sua irmã, que era doente.


Na pequena aldeia onde a jovem mora a modernidade estava chegando e uma linha de trem de ferro seria construída e para isso a água do pântano começou a ser drenada, mas assim que a construção se inicia uma doença misteriosa contamina os cidadãos os levando a morte, a doença ficou conhecida como a tosse pantaneira e Briony acredita que sua irmã foi contaminada. Decidida ela entra no pântano para procurar o responsável pela doença, porém por um descuido, ela comete um erro e agora ela terá que correr contra o tempo para salvar a sua irmã e a si mesma.


Com uma narrativa em primeira pessoa, vemos a protagonista que consegue ver e ouvir os Antigos e como ela acredita em tudo o que a madrasta dizia, ela é uma jovem retraída é vista como uma pessoa calma e controlada e dedicada a cuidar de sua irmã doente. Mas tudo muda com a chegada de Eldric, que a deixa confusa e ansiando por coisas que ela das quais ela havia desistido há muito tempo.


Espero que gostem e tenham uma boa leitura!!!


0 visualização0 comentário