Marble Surface
 
  • Fernanda Proença

#5 Resenha: Filha da Profecia


Título Original: Childe of the Prophecy.

Autor(a): Juliet Marillier.

Editora: Butterfly Editora Ltda.

Ano: 2014.


Sinopse:


Fainne é criada pelo pai, Ciarán, em uma terra distante. Mas ao se tornar adolescente é visitada pela avó, a malévola feiticeira Lady Oonagh, que a obriga a embarcar em uma terrível missão: infiltrar-se na família, em Sevenwaters, e impedir que seu tio Sean e seus aliados reconquistem as Ilhas sagradas, invadidas há gerações pelos escandinavos. Educada pelo pai usando seus dons de magia para o bem, ela, no entanto, agora se vê forçada a usar as artimanhas e maldade para atingir os objetivos de vingança da sua avó.

A grande batalha de Sevenwaters e o destino da humanidade estão agora em suas mãos.

Resenha:


A conclusão da trilogia Sevenwaters é simplesmente emocionante. Fainne é uma jovem que não acredita em amor, embora ame seu pai com todo o seu coração, para ela, sua mãe não passa de uma pessoa fraca que escolheu abandoná-los.

Apesar de ter herdado a beleza da mãe, Fainne não se sente bonita devido a uma má formação em seu pé que a faz mancar.

Fainne acredita fielmente que seu sangue é amaldiçoado e se surpreende a conseguir fazer amizade com Darragh, um viajante que sempre ia para Kerry durante o verão, porém conforme foi crescendo, Fainne começa a passar mais tempo com seu pai treinando seus dons.

Quando completa quatorze anos, Ciarán decide que ela deve ir a Sevenwaters para conhecer o restante da família e a partir daquele momento ela seria treinada pela sua avó, Lady Oonagh, pois segundo ele, somente a sua avó poderia ensinar as boas maneiras exigidas de uma dama. Durante seu treinamento, Fainne é obrigada a ajudar a avó e impedir que Sevenwaters recupere as Ilhas. Temendo pela vida do pai, ela concorda, o que ela não esperava era se apegar aquela família que ela acreditava que foram os responsáveis pela infelicidade de seus pais. Confusa, ela se vê em um grande dilema: ajudar a sua avó e salvar seu pai ou ajudar aquela família a vencer a guerra.

Simplesmente divino, Fainne sofreu muitas perdas e acredita que por ser quem é, ela deveria permanecer sozinha. Devido a história de seus pais, ela acredita que o amor é um sentimento cruel e destrutivo, sendo assim ela o evita a todo custo que este sentimento a domine. Fainne também sente raiva pelo o que seus familiares fizeram aos seus pais e não consegue acreditar que eles amavam ou se importava com sua mãe como eles dizem.

Teve momentos que senti raiva da Fainne, ela é teimosa e algumas vezes arrogante, mas ela vai evoluindo principalmente quando começa a conviver mais com sua tia Liadan, que conta coisas de sua mãe que ela não sabia.

Neste livro, vemos como a jovem aprende com seus erros (que são muitos) e finalmente enxerga a verdade e começa a ter esperanças de que ela possa ser alguém diferente e que existe o amor para ela. Fainne busca a redenção e o amor enquanto aprende a perdoar.



ATENÇÃO: A NARRATIVA CONTÉM CENAS FORTES QUE PODEM CAUSAR GATILHOS!


Espero que gostem e boa leitura!!!


0 visualização0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo