Sozinha na multidão - Rô Mierling

SOZINHA NA MULTIDÃO
É hilário o estar junto ou estar sozinha. Ter “amigos” ou não ter ninguém.
Eu ontem chamei meu namorado para ver um filme, ele disse que precisava estudar. Certo.
Eu moro sozinha, logo pensei então em chamar umas amigas para virem a minha casa e papearmos, bebermos algo, qualquer coisa assim. Liguei para cinco amigas diferentes, cada qual deu uma desculpa.
Era uma terça feira, mas mesmo assim achei que nada custava dar uma passada aqui em casa. Eu tenho muitos amigos, muitos mesmo. Mas naquele momento em que eu queria companhia, sinceramente minha mente se voltou para poucos. Meu namorado, algumas amigas.
Ah, sim, tem aquela tia minha que sempre vai comigo fazer compras e que às vezes aparece aqui em casa, ela é solteirona, é hiperativa e muito legal. Liguei para ela e depois de mil desculpas ela me disse que não podia, pois tinha consulta no dia seguinte logo cedo. Quem mais? Pais morando longe, as opções iam ficando cada vez menores.
Lembrei-me de um professor da faculdade que sempre dava em cima de mim. Eu tenho namorado, claro, mas o tal professor é gente muito fina, educado, só passaria dos limites se eu deixasse. Liguei para ele e ele disse que infelizmente estava preparando uma prova para aplicar no dia seguinte.
Não me restou muita coisa a fazer, a não ser sair para a rua sozinha e assim fui. Andei pelas ruas próximas ao meu apartamento e vi muita gente pelos bares, praças, a grande maioria com telefones celulares e equipamentos eletrônicos em uso. Postando, compartilhando, comunicando-se. Mas vi poucos grupos juntos, unidos, rindo, brincando ou mesmo brigando. Sentei em um banco,  fiquei a olhar quem passava. Poucos casais de mãos dadas, poucas amigas abraçadas e rindo como eu fazia quando era adolescente. Menos ainda pais, mães e filhos andando de mãos dadas como uma família unida. Fui ficando cada vez mais triste, que mundo é esse que temos tantos “contatos” e na verdade vivemos sozinhos em nós mesmos? 
Cansei e voltei para casa, já passava da meia noite. Tomei banho e antes de dormir fui ver se tinha algum e-mail importante no meu computador. Lembrei-me de também olhar meu Facebook e lá estavam mais de 190 recados de “felicidades”.
Eu não disse a você? Pois é, eu estava procurando companhia, pois era meu aniversário. Mas nesse momento percebi que eu não estava sozinha. Eu estava unida a vários “amigos” do Facebook que, avisados por um sistema automático, me desejavam “toda a felicidade, amor e amizade do mundo”

17 comentários:

  1. Muito bom.
    Pior que é assim mesmo que as coisas funcionam hoje em dia. Ninguém mais se importa com a companhia do outro, apenas com notificações em redes sociais; etc.
    Cada dia que passa as pessoas se afastam mais e mais e vai saber onde esse mundo vai parar, certo? Estamos deixando certos valores de lado por nada.

    ~ Cantaremverso.wordpress.com

    ResponderExcluir
  2. Adorei o texto, o mundo está cada vez mais individualista. Os recados de felicidades são palavras automáticas, ditas da boca para fora, ditas por todos e não simplesmente por realmente te desejarem aquilo. Adoro tecnologia sim, e acabamos sempre dando uma verificada nos recados, mas não quero jamais perder a sensação de um passeio de mãos dadas, as risadas dos amigos.
    Beijos
    Blog: Porão da Liesel
    Página no Facebook

    ResponderExcluir
  3. Oi Lara,

    Nossa, realmente é assim mesmo... estamos vivendo em um mundo cada vez mais individualistas, onde temos cada vez mais amigos nas redes sociais e cada vez menos na vida real. A tecnologia é uma maravilha, mas está estragando cada vez mais as relações. Nunca quero perder os poucos amigos que eu tenho por causa disso, obviamente a internet tb me trouxe amigos maravilhosos, e eu agradeço por isso tb.

    Adorei o texto, a Rô realmente escreve muito bem. Ela consegue tocar nossa alma, mesmo com um texto pequeno.

    Beijinhos,

    Rafa

    ResponderExcluir
  4. Muito legal o texto, e isso já aconteceu comigo, não no meu aniversario hahah

    Somos (todos nós) egoistas e esquecemos dos nossos amigos quando eles estão precisando... Gostei do texto porque me fez refletir muitas coisas;


    Beijinhos,
    www.entrechocolatesemusicas.com

    ResponderExcluir
  5. Olá.
    Você expressou de forma bem simples e direta nossa atual realidade, esse texto remete a mais pura verdade, triste, infelizmente.
    Parabéns pelo texto.

    Beijos.
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
  6. Olá,
    adorei o texto. Vivemos atualmente em um mundo instantâneo, onde as relações passam despercebidas, e isso está bem evidente na trama do sei escrito. Parabéns.

    Att,
    decaranasletras,blospot.com

    ResponderExcluir
  7. Olá

    Gostei muito do texto. Ano passado tive algumas crises do tipo quando todos meus amigos mais próximos estavam mais próximos e eu estava sozinho. De vez em quando também tenho essas crises e etc. Mas esse "fetichismo" de Marx e o Phubbing estão aí pra quem quiser ver e são MUITO comuns. As pessoas esquecem das relações humanas pra viver uma outra realidade. Triste :c

    Abraço!
    www.umomt.com

    ResponderExcluir
  8. Vivo reclamando com o meu namorado quando ele fica no celular enquanto estamos em algum barzinho ou coisas do tipo. Hoje em dia é preciso tomar cuidado para que o contato interpessoal não se perca.

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir
  9. Ah, que coisa mais horrível!! Colocar o aniversário na história fez tudo ficar bem pior! Realmente o mundo anda muito estranho, muito mais contato através de redes sociais que contato real, vivi uma grande parte da minha vida sem internet e sem celular e, embora essas coisa tragam sim benefícios, transformou o mundo pra pior também. Tenho pena dessas crianças que nunca vão saber o que é sair para brincar na rua, ficar se movimentando livremente e só aparecer em casa na hora de comer... muito triste que as pessoas tenham se tornado tão sozinhas e o mundo tão controlador ao mesmo tempo.

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  10. Oie,

    Li o texto e gostei muito! A sociedade hoje em dia pensa em apenas si mesma, e ela foi lá ligou pra várias pessoas e nem ninguém nem "tcham" pra ela, mas depois estão todos lá no Facebook desejando felicidades, mas se não existisse o Face, quem será que lembraria dela?

    Mayla

    ResponderExcluir
  11. Lara,
    Que texto incrível! Eu amei! Super sincero e impressionante! Infelizmente estamos caminhando para uma era cada vez mais conectada e distante! :s Sinto falta de conversar pessoalmente e as vezes me sinto como a autora do texto, sozinho com muita gente ao redor e esse é o pior tipo de solidão!

    Abraço
    Adriano
    GeraçãoLeitura.com || http://geracaoleiturapontocom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Eu até concordo que muitas vezes isso acontece no dia a dia, mas em pleno aniversário é muito exagero. Se a autora quis aumentar pra causar maior impacto, pelo menos comigo não deu muito certo. Se o namorado realmente ama e as amigas são realmente amigas, isso não aconteceria. Mas se fosse um dia normal, iria achar plausível.
    Beijinhos!
    Giulia - www.prazermechamolivro.com

    ResponderExcluir
  13. É justamente por esse motivo que eu só desejo feliz aniversário no Facabook a pessoas que eu realmente sei quando comemoram a data. E ainda sim, prefiro enviar minhas felicitações por mensagem de texto ou pessoalmente mesmo. Curti muito o texto. Ele aborda nossa triste realidade de estarmos conectados e ao invés de juntos. Só achei que por ser o aniversário da protagonista, ficou meio forçado. Tenho meia dúzias de amigas que eu pensaria em convidar para uma comemoração - por mais simples que fosse - e por mais que fosse dia de semana, todas elas fariam um esforço nem que fosse para tomarmos um sorvete juntas. E o namorado, bem.. esse não tem nem o que falar. Se eu precisasse pedir sua presença nesse dia ele já não seria mais o meu namorado hahaha

    Beeeijinhos ;*
    Andressa - Mais que Livros

    ResponderExcluir
  14. Olá,
    nossa este texto diz tudo como esta andando a sociedade. Estamos cada vez mais excluídos do mundo e vivendo virtualmente.
    E por este motivo que me opus a umas regras ditadas por mim mesma. Para não perder o encanto de passear, sorrir com amigos(colegas), passear com os filhos(dando atenção e mostrando o quão bom é fazer coisas naturais, sem ser videogame, tablete ou internet).
    Precisamos rever nossos conceitos a isso.
    Adorei a postagem!

    Beijokas Ana Zuky

    ResponderExcluir
  15. Ola lindona o texto judiou da aniversariante hein em plena comemoração, pelo menos um amigo deveria estar com ela . Espero que não vire realidade e nossa companhia seja apenas os 190 felicitações pelo face. beijos lindona

    ResponderExcluir
  16. acontece quase a mesma coisa comigo beijos
    livro-azul.blogspot.com.br
    ja estou seguindo :)

    ResponderExcluir
  17. Olá Lara!
    Gostei muito desse texto.
    Realmente o mundo de hoje está assim, temos muitos amigos virtuais, mas na vida real, não temos nada. É muito triste essa realidade.Temos que mudar isso. Senão a sociedade vai cair num buraco sem fundo.
    Beijinhos!
    http://eraumavezolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir