Na pele do personagem - Sensor de Ficção

Olá leitores!!!! Tudo bueno?
Vocês estão lendo bastante? Se emocionado? Sentindo raiva? Felicidade pelos seus personagens? Pois então, nós sempre sentimos essas sensações não é mesmo? É como se entrássemos e vivenciássemos tudo que está na história.

 Com base nisso, o  MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts),  levou ao pé da letra essa ideia, de que estamos na pele do personagem, e desenvolveu um Sensor de Ficção. É um traje eletrônico, que, vestido pelo leitor, oferece sensações correspondentes às dos protagonistas dos livros.  0.0 Alguém mais pensou como seria ler 50 Tons de Cinza? haha




Com esse traje, ocorrem experiências mecânicas e sensoriais
que incluem manipulação da temperatura, da iluminação e do som e são enviadas pela veste ao corpo do leitor na medida em que o aparato reconhece a página em que ele está. Mudança de batimento cardíaco, constrição da respiração e do corpo pela pressão de airbags e flutuação de temperatura estão entre as transformações de estado físico e emocional do personagem que são codificadas e retransmitidas.


Como protótipo, os pesquisadores usaram o livro The Girl Who Was Plugged In (1973), de James Tiptree Jr., codinome da autora americana de ficção científica Alice B. Sheldon. No material de divulgação e em notícia dada em primeira mão pelo jornal The Guardian, o MIT escreveu que a ficção sensorial busca novas maneiras de criar e experimentar histórias, induzindo emoções e forjando empatia para além das palavras e imagens.

Fiquem bem curiosa com isso, pois se já temos a sensação de que estamos dentro do livro, imagino como deve ser com esse sensor... mas a novidade ainda não possui prazo para chegar as livrarias, espero algum dia poder experimentar ;)

Fonte: Aqui e Aqui

7 comentários:

  1. Mas nem morta eu usaria um troço desses, só meu desespero sozinho já é suficiente pra me fazer querer morrer, imagina com algo assim! xD

    ResponderExcluir
  2. Eita, que maravilha o/.
    Imagine uma coisa dessas?? Amei, adorei!

    memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Certamente ia mudar meu modo de leitura e de opinião sobre cada livro. Sentir as emoções dos personagens é o que torna o livro especial no meu ver. Eu seria adepta! Beijo!

    www.readerscompany.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Haha, gostei dessa matéria, interessante seria se fosse possível. Já só lendo ficamos bem emocionados, imagina sentindo...

    ResponderExcluir
  5. Oiee ^^
    HAUAHAUHAUHA adorei o post , seria bem legal mesmo para que todo mundo descobre qual o gênero do livro e a opinião de cada livro iria mudar hehe . LER 50 TONS HUAHAAHUAHAUAHUAHAHUAH MAGINA SÓ KKKKKKKKKKK , parabéns pelo post ! Alguém traz isso logo pro Brasil pfv kkkkkk
    Adorei demais !
    Beijos !

    ResponderExcluir
  6. Oi Lara! Eu já havia visto sobre esse sensor e fiquei empolgação e não ao mesmo tempo. Sei lá a leitura é uma experiência tão individual, fiquei om a impressão de que a ideia é divertida e audaciosa, mas artificial e "invasiva". Minha amiga sempre diz que eu sou um "leitora 3D" por causa da forma como descrevo minhas reações em passagens de alguns livros e da forma como enxergo as histórias e isso é algo que eu preso muito, faz parte da minha identidade. Então eu gostei e não gostei da novidade ao mesmo tempo.

    Dani
    www.1000-vidas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Hehehehe nunca tinha visto sobre isso, mas acho que ia usar não rs.
    Já sofro e imagina com uma coisa assim.

    Beijos
    http://fernandabizerra.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir