Lançamentos Editora Baraúna

Olá leitores! Hoje vamos conferir as novidades da Editora Baraúna:


Nós, ocidentais, nesse início de século XXI, temos uma concepção muito particular do tempo. Para nós, por exemplo, o tempo avança em linha reta e não volta mais; enquanto o tempo passa, as coisas mudam, envelhecemos, mudam as ideias e a cultura.

O tempo, para nós, é quantitativo, se divide em séculos, anos, meses, dias, horas, minutos e segundos. E só para dar mais um exemplo, sabemos que cada cultura tem sua concepção particular do tempo. Mas, com certeza, nem sempre foi assim. Para o homem medieval, o tempo era, sobretudo, o tempo que temos durante nossa vida para construir, ou não, a nossa salvação. A presença do indivíduo, da quantidade e da linha reta era menor no tempo da Idade Média. Neste livro, há espaços para refletir sobre diversos conceitos que provavelmente ajudarão a compreender melhor o tempo medieval: quantidade, indivíduo e comunidade, repetição, graça...



Ricos ou miseráveis é baseado na história do menino Dino e nas Escrituras Sagradas. O livro mostra, objetivamente, que a vida é regida por certas leis naturais que fazem toda a diferença. Portanto, como as coisas não caem do céu, por assim dizer, será necessário objetivá-las dentro da mente de cada um de nós para que possam ganhar vida acontecer de forma concreta e material.


O livro enfatiza um sentimento que todos nós temos, a saudade, dos tempos de criança, de alguns fatos da adolescência e, principalmente, dos amores que marcaram em várias fases da vida. A presença mesmo que momentânea da felicidade. Algumas vezes, o relato de acontecimentos que não tiveram um bom desfecho, não diminui o impacto que a maioria proporcionou. A emoção contida nos versos, mesmo os que cobram responsabilidade deixa transparecer a esperança de dias melhores, um futuro promissor. As saudades que as lembranças deixam aflorar são o transporte para situações vividas no decorrer do tempo. A frase "Lembro com saudade da terra em que nasci", mostra o quanto a vivência no período narrado não caiu no esquecimento. Serviu de base para o engrandecimento e o ensejo de, para lá voltar um dia. A saudade sentida de uma infância feliz em que não havia preocupações causa prazer, porém, a vida seguiu seu curso e deixou marcas. Saudades de situações que não voltam, não há como reviver, por isso, às vezes dói lembrar, e saber que não há retorno.


Os meninos, as mágoas e as flores trata-se de um ensaio sobre a vida através das palavras do autor, A. Mansini.  Os textos escolhidos para compor esta obra são resultado das inquietações constante de A. Mansini, que ansiava por dividir um pouco de se sua visão sobre o mundo e as eventualidades que o afetam. São breves reflexões formatadas em crônicas e poemas. A vinculação entre os textos não é de todo evidente, mas está lá, na escolha das palavras e dos temas. No pano de fundo estampado com saudades envoltas em algumas mágoas, mas também com esperanças, advindas das flores que brotam dos corações dos meninos. Esperamos que esta leitura, mais do que divertimento, traga algo de positivo ao leitor.


Este livro fala sobre muitas perdas e o que elas podem causar em nossas emoções. Mostra nossos sentimentos às claras e nos esclarece como lidar com eles. Ninguém gosta de perder, queremos sempre ganhar, e com essa leitura aprenderemos a perder para poder ganhar. Ganhar esperança, aprender a recomeçar e a tratar nossas feridas da alma causadas por situações muitas vezes contrárias à nossa vontade. Sua maior virtude é o Espírito Santo, que está em cada palavra direcionada diretamente aos corações dilacerados, machucados por situações da vida cotidiana que causam dor.


Quando um sentimento não é recíproco. Quando um sentimento é dado, mas sequer consegue alcançar o outro, até que ponto vale a pena ser alimentado? Quais os benefícios de um sentimento como este? Quando o mundo inteiro diz “não”! Mas o coração diz “sim”! Esta é a história de Platônico, um romance que expõe de maneira visceral uma história de amor espiritual. Um sentimento nascido ao acaso, um amor tão nobre que foi capaz de preencher vazios. Aventure-se você também neste enredo apaixonante.


Os pecados de uma mulher e outras crônicas é um livro que fala de amores, ilusões desfeitas, tristezas e alegrias, orgulho, egoísmo, ciúme e muitas outras paixões humanas. Nesta obra, o autor Aldrin Marcelo faz uma analogia inteligente para criticar e analisar certos comportamentos sociais que ainda assolam a humanidade. Para tanto, o autor criou personagens fortes, apaixonadas, de índole correta e outras de caráter fraco ou leviano que certamente irão conquistar o leitor. 


Quando Perdoar é a Única Maneira narra a história de Rachel, uma garota que não sabia lidar com a perda. Ela não imaginava, nem em sonho, que perderia seu irmão tão cedo, ainda mais daquela forma horrível. Mas oito anos se passaram, e ela havia aguentado firme… Ao menos, era o que todos pensavam.
Sua vida se resumia em trabalho, e qualquer coisa que pudesse distraí-la era imediatamente retirada de cena, até que Christian apareceu. Com um sorriso meio cínico, um jeito meio atirado de ser e o rosto de galã de cinema que sua melhor amiga havia descrito, ela logo percebeu que tê-lo por perto despertaria sentimentos que ela não tinha há muito tempo.
Porém, uma coisa a atormentava. Pesadelos ainda a sensibilizavam, e ficou claro que antes de abrir seu coração, ela precisaria descobrir quem era o verdadeiro culpado pela morte de John. Ela só não poderia imaginar qual era a terrível verdade por trás daquele horrível acidente…

Um comentário: