Os livros mais polêmicos da história

Olá leitores! Hoje vou falar um pouco sobre os onze livros, que segundo a revista Mundo Estranho, foram os que mais causaram polêmica na história, seja por que relatavam uma farsa, ou por que falavam de sexo de maneira explicita, ou ainda por que confrontavam as religiões, vamos saber um pouco mais sobre eles?


Livro:Sarah (1999)
Autor:Jeremiah “Terminator” LeRoy
É um romance supostamente baseado na infância do autor, representado por um garoto de 12 anos, chamado Cherry Vanilla, que deseja virar uma mulher famosa. Com forte carga de prostituição e abuso sexual infantil, a história caiu no gosto até de celebridades. Em 2006, o autor foi desmascarado e revelou que a pessoa que se passava por LeRoy era uma modelo contratada. A real autora era uma ex-operadora de telessexo. A farsa contribuiu ainda mais para seu sucesso.

Livro:Deus, um Delírio (2006)
Autor:Richard Dawkins
O biólogo britânico expõe argumentos para provar a inexistência de Deus, faz apologia ao ateísmo e aponta a religião, de modo geral, como principal causa dos males modernos: guerras, ignorância, intolerância etc. Sucesso de vendas, a obra inflamou a discussão entre religiosos e ateus no meio acadêmico e gerou dezenas de artigos e até livros contrários a suas ideias. Dawkins virou ícone do ateísmo.

Livro:Versos Satânicos (1989)
Autor:Salman Rushdie
A obra conta a aventura de dois muçulmanos que sobrevivem a um atentado a bomba em um avião. Depois da queda, um deles desenvolve chifres, cascos e um rabo. O outro cria uma auréola. Recheado de ironias e críticas ao Alcorão e ao islamismo, o livro culminou na busca pela cabeça do autor – líderes religiosos ofereceram US$ 6 milhões como recompensa pelo seu assassinato. Rushdie teve que se manter no anonimato durante muitos anos.

Livro:Lolita (1955)
Autor:Vladimir Nabokov
Rejeitado por várias editoras, que o taxaram de pornografia pura, Lolita é um romance escrito em primeira pessoa que conta a história de Humbert Humbert, professor de poesia francesa quarentão que se apaixona por sua enteada de 12 anos e vive com ela uma relação amorosa e erótica. Humbert se define como um pervertido e atribui seus atos a um romance malsucedido da juventude. Inspirou dois filmes, também controversos.

Livro: Madame Bovary (1857)
Autor: Gustave Flaubert
Avançada para os padrões da época, a fictícia madame Bovary comete adultério e se entrega ao consumismo desenfreado (e às dívidas que vêm junto) para dar sentido à sua vida carente de aventuras. Acaba tendo um final trágico e meio moralista: ela se suicida ingerindo arsênico. Por fazer críticas ao clero e à burguesia, o romance causou furor na época, com o autor sendo levado a julgamento por ofender a moral e a religião. Absolvido, Flaubert declarou no tribunal: “Emma Bovary sou eu”.

Livro:A Interpretação dos Sonhos (1900)
Autor:Sigmund Freud
Obra em que o pai da psicanálise relaciona os sonhos às projeções do inconsciente. Para o médico austríaco, qualquer sonho pode ser explicado, diferentemente do que alguns estudiosos acreditavam. Mal recebido, o livro causou polêmica por contrariar as teorias da época, que diziam que os sonhos não eram inteligíveis. As interpretações sexuais foram um dos motivos de maior escândalo.

Livro: Os 120 Dias de Sodoma (1785)
Autor: Marquês de Sade
Não é à toa que o nome do autor deu origem à palavra “sadismo”: o livro tem escatologia (uma cena narra um banquete com pratos com fezes), incesto, tortura (inclusive de crianças), orgias e assassinato. Uma leitura mais atenta aponta que a violência foi o recurso do escritor para afrontar as instituições da Igreja, da família e do Estado. Preso diversas vezes e perseguido ao longo da vida pelo comportamento libertino, Sade morreu em um hospício.

Livro: Acerca do Infinito, do Universo e dos Mundos (1584)
Autor: Giordano Bruno
Precursor da filosofia moderna, o livro se baseia na teoria do astrônomo e matemático Copérnico, que afirmava que a Terra não era o centro do Universo. Para o autor,o Universo seria infinito e com um número infinito de mundos, todos em sistemas heliocêntricos (ou seja, que têm um Sol como centro), com seres inteligentes. O autor acabou executado como herege pela Inquisição.

Livro: A Origem das Espécies (1859)
Autor: Charles Darwin
Um dos livros mais importantes da história das ciências, apresenta a Teoria da Evolução, cujos preceitos se tornaram a base da biologia moderna. Na obra, Darwin analisa a luta pela sobrevivência e a seleção natural entre as espécies. Mas foram as teorias de que o homem veio do macaco que geraram comoção, principalmente porque contradizem totalmente o livro do Gênesis, na Bíblia, que trata da suposta criação do mundo por Deus.
Livro: Mein Kampf (1925/1926)
Autor: Adolf Hitler
A “cartilha do nazismo” expressava as ideias antissemitas e racistas do ditador, que escreveu o primeiro dos dois volumes na prisão. Foi meio que uma sementinha da Segunda Guerra Mundial e do Holocausto, já que, em suas páginas, Hitler persuadia os alemães a combater os judeus, que, segundo ele, pretendiam dominar o país. O estado da Baviera, na Alemanha, se recusa a reeditar a obra ou permitir republicações.

Livro: Bíblia (ano indeterminado)
Autor: vários (mais de 40)
Fiéis, cientistas, ateus e diversos outros grupos levantam dúvidas sobre autoria, idiomas e datas. Além disso, seu conteúdo sempre gerou incertezas e muitas análises, principalmente as partes sobre o pecado original, o Apocalipse e a criação divina. Trechos sobre penas de morte, sacrifícios, violência contra crianças, bebedeiras e sexo sempre são trazidos à tona por seus detratores. A Bíblia também é muito analisada por seguidores de outras crenças além da católica, o que contribui para que gere polêmicas.
Todos esses livros causaram polêmicas, mas confesso que não fiquei nada interessada em Os 120 Dias de Sodoma, parece uma leitura horrível e grotesca, imagino que tenha realmente dado o que falar. Tenho interesse em ler Mein Kampf, odeio esse homem, mas os livros sobre ele ou dele me chamam a atenção. 

Bom, é isso gente, hoje vou ficando por aqui, um abraço a todos!

 Fonte

7 comentários:

  1. Oi Lara.
    Post excelente, adorei a declaração de Flaubert no tribunal.
    Eu ainda não conhecia o livro Sarah.

    Beijos
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
  2. Este foi com certeza com post de ideia inovadora, mas pecou logo no início: "Os livros mais polêmicos da história." Creio que o título venho da fonte que você pegou, mas não deixa de ser descabido como a maioria das pretensões do tipo.

    Os livros citados foram bem escolhidos, pois realmente remeteram a polêmicas, e não a qualidade, caso contrário Dawkins não figuraria, pelo menos não com "Deus, um delírio".

    Os "120 dias de Sodoma" nunca li, acompanhei outros materiais do Sade, mas achei sua atitude de simplesmente tachar o livro de pouco interessante pela temática estranha a alguém que se propõe a analisar livros. Foi um preconceito bem desnecessário em pleno século XXI, além do mais, a literatura é uma arte na qual até as coias mais horríveis tornam-se belas.

    Sobre a curiosidade por Hitler, acho normal. Embora eu não a tenha, conheço algumas pessoas que tem. Se ele não tivesse cometido as atrocidades contra os judeus em especial, creio que em algumas décadas ele seriam um segundo Bonaparte: adorado por muitos.

    ResponderExcluir
  3. Obrigada Paty!!!
    Jonathan foi do Mundo Estranho que peguei o título sim, e realmente são polêmicos e não de pouca qualidade, em nenhum momento disse isso.
    E me proponho a analisar livros de meu interesse, dei apenas minha opinião sobre os 120 dias de Sodoma, pois não me agradaria ler algo que tenha "escatologia (uma cena narra um banquete com pratos com fezes), incesto, tortura (inclusive de crianças), orgias e assassinato.". Acho que tenho o direito de dar minha opinião baseada nisso, não achei o tema legal e não me parece bom. Mas respeito quem gosta de livros desse tipo. A literatura é realmente uma arte mas nem tudo agrada a todos.
    Obrigada pelo comentário.

    ResponderExcluir
  4. Li algumas matérias semelhantes em sites de revistas, com mais alguns outros livros incluídos, e achei bem interessante. Lolita é um livro incrível, uma narrativa peculiar, única. Entendo que tenha sido polêmico (e talvez ainda seja), mas é uma verdadeira obra de arte. Tenho curiosidade de ler 120 dias de Sodoma. Já assisti a uns trechos de um filme sobre o Marquês de Sade, e fiquei interessada.
    Madame Bovary é outro que quero ler; aliás, já ouvi falar bastante nele desde os tempos do colégio hehe.
    É interessante observar como muitas pessoas/sociedades polemizam certos tipos de temas em livros, mas aceitam com tamanha passividade o que leem na bíblia, sem verdadeiros questionamentos.

    Bj, Livro Lab

    ResponderExcluir
  5. Olá, Lara Duarte.

    O que notei foi que o título é uma presunção, pois aparenta ser o dono da verdade em analisar quais foram os mais polêmicos da história, como se a lista fosse absoluta. Entre os escolhidos não figura, por exemplo, "O crime do padre Amaro", do Eça de Queirós. Este livro foi uma crítica contundente que ganhou repercussão mundial. "As flores do mal", de Baudelaire, é outro exemplo.

    O argumento de que a lista apresenta livros que realmente foram polêmicos e não necessariamente bons foi meu. Desculpe-me se, por acaso, ficou confuso. Ao meu ver, "Deus, um delírio", do Dawkins, é um livro mediano senão ruim. Comparando, por exemplo, ao "Deus não é grande", do Christopher Hitchens, deve muito. Além de apresentar argumentos falhos em muitos momentos.

    Ter o direito de opinar sobre os "120 dias de Sodoma", obviamente você tem. Contudo, acho que argumentar em cima dele sem ter lido, baseando-se em uma análise sensacionalista de terceiros (porque as obras de Sade estão muito além desses detalhes que somente reforçam o verdadeiro intuito de suas obras), é uma atitude estranha a alguém que cria um blog destinando-se a analisar livros. É, com todo respeito, preconceito. Mas, no que toca ao seu direito de tomar essa postura, você realmente está certa.

    Até mais. :)

    ResponderExcluir
  6. Ok! Não me considero preconceituosa, mas respeito o que pensas. Tu tem tua opinião sobre mim baseado no que escrevi e eu tenho a opinião sobre o livro baseada na Sinopse que li. Pronto ^^

    ResponderExcluir
  7. Desses livros já li "Lolita" leitura que não curti muito! A Biblía por ser religiosa!
    Mas tem uns que sou curiosa demais!
    Beijos,Ana.
    Um livro e nada mais-http://umlivroenadamais.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir