John Boyne


Olá leitores!! Como estão? Mil perdões por ficar sem postar  há dias, tive uma semana cheia e essa que se segue também será, mas não vou ficar tanto tempo sem escrever pra vocês. 

Mas enfim, hoje trouxe a vocês A Magia Dos Autores, com um autor que gosto muito,  já tive o prazer de ler dois de seus livros e me encantei com sua escrita, esse autor é John Boyne!

John nasceu na Irlanda, em Dublin, em 1971, ele estudou escrita criativa e literatura inglesa, e aos dezenove anos começou a escrever contos, chegou a publicar setenta deles. Amante dos livros, o autor trabalhou anos em uma livraria. Em 2006, ele teve seu primeiro romance publicado no Brasil: "O Menino do Pijama Listrado" , um best-seller que foi adaptado para o cinema em 2008, o livro se tornou um grande sucesso e teve mais de cinco milhões de cópias vendidas pelo mundo, além de ter ganho inúmeros prêmios. Os romances de Boyne já foram publicados em 45 idiomas.

Do autor, eu já li "O Menino do Pijama Listrado" e "O Garoto no Convés" e fiquei fascinada, gostei muito dos dois e me encantei pela maneira que ele escreve. Junto com a ficção dos seus livros, John mescla momentos históricos que tornam a trama muito envolvente, nos fazendo viver aquele momento com uma visão completamente diferente. Ele acredita que para um autor escrever sobre algum lugar ele deve ir até lá e pesquisar. A exemplo disso podemos citar o livro "O Palácio de Inverno", em que Boyne foi para a Russia para conhecer a fundo tudo o que podia sobre a história do país. Porém, ao escrever "O Menino do Pijama Listrado" ele não foi a  Auschwitz, conheceu o lugar somente depois que o livro estava concluído.

No Brasil, quatro de seus romances foram publicados, vamos conhecer um pouquinho sobre eles:


O Menino do Pijama Listrado - Resenha

"Bruno tem nove anos e não sabe nada sobre o Holocausto e a Solução Final contra os Judeus. Também não faz idéia de que seu país está em guerra com boa parte da Europa, e muito menos de que sua família está envolvida no conflito. Na verdade, Bruno sabe apenas que foi obrigado a abandonar a espaçosa casa em que vivia em Berlim e mudar-se para uma região desolada, onde ele não tem ninguém para brincar nem nada para fazer. Da janela do quarto, Bruno pode ver uma cerca, e, para além dela, centenas de pessoas de pijama, que sempre o deixam com um frio na barriga. Em uma de suas andanças Bruno conhece Shmuel, um garoto do outro lado da cerca que curiosamente nasceu no mesmo dia que ele. Conforme a amizade dos dois se intensifica, Bruno vai aos poucos tentando elucidar o mistério que ronda as atividades de seu pai. "O Menino do Pijama Listrado" é uma fábula sobre amizade em tempos de guerra, e sobre o que acontece quando a inocência é colocada diante de um monstro terrível e inimaginável. "


O Garoto no Convés 

Em abril de 1789, semanas após concluir no Taiti uma curiosa missão com fins botânicos - coletar mudas de fruta-pão para alimentar os escravos nas colônias inglesas -, o navio de guerra britânico HMS Bounty foi palco de uma revolta de parte da tripulação contra o capitão William Bligh, que acabou deixado à própria sorte em um bote em alto-mar junto com os marinheiros ainda fiéis a seu comando. Sem provisões e instrumentos de navegação adequados, o grupo enfrentou 48 dias de duras provações até alcançar a costa do Timor. O episódio inspirou numerosos livros e filmes.
Neste livro, a história da expedição é narrada do ponto de vista de John Jacob Turnstile, um garoto de Porstmouth, sul da Inglaterra, que sofre abusos de toda sorte, inclusive sexuais, no orfanato e pratica pequenos furtos nas ruas da cidade. Detido pela polícia após roubar um relógio, é salvo pela própria vítima do roubo quando esta lhe faz uma proposta: em vez de ficar encarcerado, embarcaria no HMS Bounty para passar pelo menos dezoito meses como criado particular do respeitado capitão Bligh. Turnstile aceita a barganha, planejando fugir na primeira oportunidade. Mas a rígida disciplina da vida no mar e uma relação cada vez mais leal com o capitão transformarão sua vida para sempre. É pela voz desse adolescente insolente e sagaz, mas ao mesmo tempo frágil e ingênuo, que o leitor acompanhará uma viagem repleta de intrigas, tempestades instransponíveis, cenários exóticos e lições de lealdade, paixão e sobrevivência. 
O autor acrescenta novos dados e interpretações a uma história até hoje misteriosa. Sugere, por exemplo, que a receptividade sexual das nativas do Taiti pode estar na origem da insatisfação que resultou no motim. Seduzidos - ou, no caso de Turnstile, iniciados - por elas, os marujos teriam considerado intolerável a idéia de retornar para casa, o que os colocou em linha de colisão com o capitão. 



O Palácio de Inverno

Pode-se fugir da história? Será possível viver no anonimato após uma existência de fausto e glória? A vida comum é assim tão diferente da vida pública? Geórgui Jachmenev passou a vida inteira se debatendo com essas questões, e agora, prestes a perder o grande amor de sua vida, tenta encontrar uma resposta para elas ao refletir sobre seu percurso num século XX que sempre lhe pareceu longo demais. Seus feitos começaram cedo: aos dezesseis anos, em ação impulsiva e atabalhoada, o rapaz impediu um atentado contra a vida de ninguém menos que o grão-duque Nicolau Nicolaievitch, irmão do czar Nicolau II, que, agradecido, nomeou Geórgui o guarda-costas oficial de seu filho Alexei, destinado a ser o próximo czar. Uma reviravolta impressionante, que o levou da taiga russa para o fausto dos palácios moscovitas, cenário que, apesar da amplidão e luxo de seus imensos corredores, iria se revelar bem mais inóspito que os frios grotões de sua vida anterior. A dura experiência com esse mundo gélido de intrigas palacianas, às quais sempre era jogado contra sua vontade, e de grandes tensões e responsabilidade só foi apaziguada com a chegada do primeiro amor, Zoia. Mas os tempos eram agitados, e a história deixou pouco espaço para idílios: quando a Revolução Bolchevique tomou de assalto o país, e isolou toda a família do czar numa casa de campo nos arredores de Ekaterinburg, mais uma vez Geórgui teve de agir rápido a fim de salvar a si e a Zoia. A vida com ela lhe custaria pátria, família e prestígio, e ele jamais se arrependeu disso - mas e para Zoia, o que teria custado? Numa narrativa fascinante, em que presente e passado vão convergindo em capítulos alternados, da Inglaterra dos anos Thatcher para a época dos czares russos, e dos anos difíceis da Segunda Guerra Mundial para o turbilhão da Revolução Bolchevique, acompanhamos Geórgui em meio a acontecimentos históricos decisivos que acabam por se revelar mero pano de fundo para uma história de amor que esconde um grande mistério, talvez maior mesmo que a própria história.


Noah foge de casa

Noah tem oito anos e acha que a maneira mais fácil de lidar com seus problemas é não pensar neles. Quando se vê cara a cara com uma situação muito maior do que ele próprio, o menino simplesmente foge de casa, aventurando-se sozinho pela floresta desconhecida. Logo, Noah chega a uma loja mágica de brinquedos, com um dono bastante peculiar. Ele tem uma história para contar, uma história cheia de aventuras que termina com uma promessa quebrada, uma história que vai levar o fabricante de brinquedos a pensar sobre o seu passado e Noah a pensar sobre aquilo que deixou para trás. Em seu primeiro livro juvenil desde o best-seller O menino do pijama listrado, o escritor irlandês John Boyne cria um mundo que mistura contos de fadas com os problemas mais cotidianos de um garoto comum. Esta fábula leve e inteligente prende os leitores presos até o final com dois grandes mistérios: por que Noah fugiu de casa e quem é o fabricante de brinquedos?

Bom gente, por hoje é isso, eu gostaria de saber se vocês já leram algo do autor, e se já leram, gostaram?

Um beijão ^^





10 comentários:

  1. Boa noite Lara,

    Esse é um dos autores contemporâneos que mais gosto, li e resenhei todos os livros dele no blog e recomendo a todos..leitura obrigatória, o Menino do pijama listrado foi escrito em 2 dias e meio....show....belo post...abçs.


    http://devoradordeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Estou bem interessada no 'Palácio de Inverno', terei que comprá-lo, pq ninguém quer trocar pelo skoob. São muitos elogios ao livro.
    Os outros são sucesso, mas ainda não li nenhum. Quero mesmo conhecer esse autor.
    Ótimo post!

    ResponderExcluir
  3. Achei o "Naah foge de casa" muito interessante na tua análise, tem um filme muito bom que é parecido com a história do livro " De onde vem os monstros". Talvez possa te interessar. Gostaria de ler o "Menino do pijama listrado" e ver o filme logo após,que apesar de muito tempo de lançamento ainda não tive a oportunidade de ver.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  4. Recebi sua mensagem no skoob. Muito interessantes suas resenhas. Vou me inscrever sim.
    Se houver interesse, visite meu blog:
    www.delirandoeescrevendo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi, Lara!
    Eu li O menino do pijama listrado e também vi o filme. Simplesmente me apaixonei pela história, pela escrita, personagens...tudinho! E há muito tempo estou louca para ler O garoto no convés, mas ainda não tive a oportunidade. Espero tê-la em breve.

    Beijos
    www.carolinecuri.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Eu já li e assisti O Menido do Pijama Listrado. A história é linda demais. Confesso que, além deste, o único outro livro que eu conhecia do autor é O Garoto do Convés, embora ainda não o tenha lido. Gostei de conhecer as outras histórias. Parabéns pelo blog, lindo aqui! *-*

    http://valvula-de-e5cape.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi, adorei o poste adoro esses autores!
    Realmente sabem emocionar a nós.
    Parabens, adorei seu blog! Bjs
    MauMau
    http://www.sonhosresenhas.blogspot.com.br/2012/09/entrevista-com-keith-strickland-b-52s.html

    ResponderExcluir
  8. Ainda não li nenhum dos livros citados, mas se me basear no filme "O Menino do Pijama Listrado", então tem tudo para ser um ótimo escritor.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  9. Oi Amilgaaaaaa!!!

    Eu tenho O Menino do pijama listrado, mas ainda não lí.
    Comecei mas parei...

    Vi o filme e achei tudo muito triste!
    Era horrivel a maneira como os judeus eram tratados e mortos!

    Vou ler o livro pois sei que deve ter muito mais coisa do que o filme!

    Beijokas de Danoninho!!!! ^^

    ResponderExcluir
  10. Já li dois dos livros do John e amei...
    Beijos,
    Luana Karla. http://sector-12.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir