Romance Gaudério - O Tempo e o Vento

Olá leitores!!!
Nessa semana o amor está no ar, kkk e o Magia estará com colunas apaixonantes ^^ !!!!! Então, na Literatura Tri Buena de hoje, vou falar um pouco sobre a trilogia "O Tempo e o Vento", romance épico do maravilhoso Érico Veríssimo!


O autor gaúcho, levou mais de dez anos para escrever a trilogia que é composta por sete livros, as duas primeiras partes: "O continente"  e "O retrato", são apresentadas em dois volumes cada, e a última parte intitulada de "O Arquipélago" é composta por três livros.
Vamos conhecer um pouco mais obre elas:



O Continente


A primeira parte de O Tempo e o Vento foi publicada em Porto Alegre no ano de 1949 e narra a formação do Estado do Rio Grande do Sul através das famílias Terra, Cambará, Caré e Amaral. O ponto de partida é a chegada de uma mulher grávida na colônia dos jesuítas e índios nas Missões. Esta mulher dará à luz o índio Pedro Missioneiro, que depois de presenciar as lutas de Sepé Tiaraju através de visões e ver os portugueses e espanhóis dizimarem as Missões Jesuíticas, conhecerá Ana Terra, filha dos paulistas de Sorocaba Henriqueta e Maneco Terra, este filho de um tropeiro que ficou encantado com o Rio Grande de São Pedro ao atravessá-lo para comerciar mulas na Colônia do Sacramento e obtém uma sesmaria na região do Rio Pardo.
Ana Terra terá um filho com o índio, chamado Pedro Terra. Logo que seu pai descobre sobre a gravidez, ele manda os irmãos de Ana matarem Pedro Missioneiro. Quando castelhanos invadem a fazenda da família Terra, matam pai e irmãos da moça e a violentam, mas ela conseguiu esconder o filho, a cunhada e a sobrinha. Partem para Santa Fé, onde se passará o resto da ação de O Tempo e o Vento. Lá Pedro Terra cresce e tem uma filha, Bibiana Terra, que se apaixonará por um forasteiro, o capitão Rodrigo Cambará. Ana Terra e o capitão Rodrigo são até hoje considerados dois arquetipos da literatura brasileira. Neste livro, o autor aborda a  história da formação da elite riograndense, que culminará na Revolução Federalista de 1893/95. As lutas pela terra, as guerras internas (Farroupilha, Federalista) e externas (Guerra do Paraguai, Guerra contra Rosas) marcam definitivamente a vida e a personalidade daqueles gaúchos e ecoam de forma muito forte ainda hoje na identidade do Rio Grande do Sul.




O Retrato



A história se passa em Santa Fé no início do século XX, então iniciando timidamente seu processo de urbanização, ainda marcada pela cultura rural.
Toda a história é marcada pelo contraste entre o Dr. Rodrigo Cambará, homônimo do capitão, homem da cidade, de um lado, e o Coronel Licurgo, seu pai, homem do campo, de outro. Como mediador desse conflito, aparece seu irmão Toríbio.
O próprio Dr. Rodrigo é um personagem marcado pelos contrastes. Formado em Medicina, adquiriu em Porto Alegre, onde estudou, o gosto por uma vida sofisticada. Ao chegar a Santa Fé, vestia ternos elegantes, trazia na bagagem iguarias e vinhos franceses e um gramofone e na mente projetos de vida grandiosos. Mas frequentemente esse verniz se rompia e se revelava o típico macho gaúcho, com acessos de violência e de um incontido desejo sexual.

O homem confiante e superior que se julgava vai, então, cedendo aos poucos o lugar para o homem amoral em que acaba se transformando. 


O Arquipélago


A última parte da trilogia foi lançada onze anos após O Retrato, quando os meios literários já não mais esperavam a continuação de O Tempo e o Vento, devido à frágil saúde de Erico, convalescente de um ataque cardíaco.
Aqui, parte da ação transcorre no Rio de Janeiro, então a capital do país, com o Dr. Rodrigo Cambará eleito deputado federal. Assim, os personagens principais não são mais espectadores dos fatos nacionais, mas participam diretamente deles. Ao longo do romance, aparecem vários personagens reais, como Getúlio Vargas, Osvaldo Aranha, Luís Carlos Prestes, que contracenam com os personagens criados pelo autor. Isso confere à história uma dinâmica especial.
Novamente, no seio da família Cambará, desenrolam-se as contradições de uma época marcada por uma radical revolução de costumes, sob a influência do cinema americano. Na família Cambará e suas relações, há desde comunistas a oportunistas. No meio deles, assumindo uma postura crítica e não engajada, aparece Floriano, alter ego do próprio Erico.
O autor inova ainda ao introduzir um capítulo narrado por uma personagem feminina, Sílvia, que apresenta os personagens de O Arquipélago sob um ângulo diferente.


A trilogia é muito importante para  a história do Rio Grande do Sul, pois no romance, estão retratados mais de 100 anos de transformações sociais, politicas e culturais, que foram essenciais para a formação do Estado Gaúcho!


série

O romance foi tão aclamado, que a primeira parte: "O Continente", virou minissérie da Rede Globo!

Na minissérie, é traçado um retrato sobre as origens, desenvolvimento e consolidação do Rio Grande do Sul, permeado por histórias de amores, amizades, conquistas e esperança.


minissérie


O Tempo e o Vento, foi uma grande produção da emissora que contou com cerca de 100 personagens, quase seis mil figurantes, teve aproximadamente mil cenas e mais de 60% de suas sequências gravadas ao ar livre.

minissérie

  Composta por inúmeras cenas de batalhas intensas e dramáticas, a minissérie foi um excelente trabalho Rede Globo, que obteve o sucesso merecido.
Os atores gravaram em fazendas no Rio Grande do Sul, nos municípios de Guaíba, Camaquã, São Miguel das Missões e Morungava. O Tempo e o Vento foi vendida para mais de 20 países, entre eles Argélia, Argentina, Bélgica, Canadá, Cuba, Estados Unidos, França, Hungria, Portugal, Suíça e Tunísia.
E para quem quiser conferir, em 2005 a minissérie foi lançada em DVD.

minissérie

Érico realmente escreveu uma história marcante, pois além de virar minissérie de sucesso,  a primeira parte de sua trilogia também virará filme, vamos conferir algumas fotos e as noticias deste longa, que certamente será tão magnifico quanto os livros e a minissérie!!!

filme

O Tempo e o Vento

Com direção de Jayme Monjardim, e com Fernanda Montenegro, Thiago Lacerda, Cléo Pires e Marjorie Estiano no elenco, o filme O Tempo e o Vento, baseado no romance "O Continente" tem previsão de estreia para 2013.
 Ele narra cerca de 150 anos da história do Rio Grande do Sul e do estabelecimento das fronteiras brasileiras,mostra a trajetória e a rivalidade entre a família Terra Cambará e a Amaral. 
filme

No longa, Thiago Lacerda encarnará o capitão Rodrigo Cambará e Ana Terra será interpretada por Cléo Pires. Fernanda Montenegro e Marjorie Estiano viverão Bibiana em diferentes momentos.
As primeiras cenas do longa foram filmadas na cidade de Pelotas, e os atores estão passando por diversas cidades gaúchas.
Enfim, o longa possui um elenco maravilhoso com uma história muito bonita, vale a pena assistir!!!
Eu espero que tenham gostado do post sobre esse grande romance épico!
filme
Um beijão!!!!

11 comentários:

  1. Super coincidência!
    Comecei a ler "Um Certo Capitão Rodrigo" ontem! O livro finaliza essa trilogia do Veríssimo! Não sabia que eles lançariam um filme! Agora estou com vontade de assistir! E terminar de ler tudo antes que lancem, é claro!

    ResponderExcluir
  2. Não conhecia essa história, mas fiquei bem interessada, não sei quando, mas vou tentar ler, parece ser bem interessante.
    Beijos.

    http://palavrasdeumlivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Eu não tenho vontade nenhuma de ler, pode ser bom, mas simplesmente não é o meu estilo, eu já tentei ler esses autores brasileiros mas eu não consigo, uma pena

    beijos,Lu
    Lendo ao Luar

    ResponderExcluir
  4. Olá!!

    Adorei conhecer esse autor e suas obras!

    Tem selo pra você lá no blog!
    Confere aqui: http://wordinmybag.blogspot.com.br/2012/06/selo.html


    Beijos,

    Samantha Monteiro
    Word In My Bag
    http://wordinmybag.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. O Érico Veríssimo é ótimo.
    Eu tenho O Retrato aqui em casa. Ainda não li nenhum desses romances.
    Gostei do post, Lara.

    Beijocas.
    http://artesaliteraria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Nossa, como eu sou desinformada, eu não conhecia
    E parece ser um classico eim
    Até já teve uma adaptação...

    Beijos
    @pocketlibro
    http://pocketlibro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. AH>... O Brasil mostra romances interessantes, é só procurar um pouquinho no bau e vuolá. Lindas histórias aparecem. Não sei como os brasileiros não gostam de literatura brasileira..

    Beijinhos,
    Kimy Gabrielli.
    blogkimygabrielli.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Eu me senti a pessoa mais desinformada do mundo agora. Não conhecia os livros nem a adaptação. :(
    Preciso conhecer mais a literatura brasileira.

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
  9. Nossa é sempre bom ver notícias e notas sobre esses livros clássicos. Tem épocas que só tenho vontade de lê clássicos. Parabéns pela iniciativa.

    ResponderExcluir
  10. Acho que li quase todos os livros do Érico Veríssimo, principalmente essa trilogia completa. Eu me lembro quando passou O Tempo e o Vento. EU já tinha lido o livro. Interessante que a Cleo Pires vai fazer o papel que a mãe fez. Vai ficar perfeito. Não quero perder. E para aqueles que disseram que não gostam desse tipo de literatura, que façam um esforcinho. A série mostra de uma maneira romanceada toda a história do Rio Grande do Sul, com a vinda dos alemães, italianos para viver naquela região. É muito gostoso de ler.

    ResponderExcluir
  11. Eu chorei lendo Ana terra... =( .. Mas foi bom!

    ResponderExcluir