Os Escritores e os Gatos!

Olá!!!
Hoje trouxe uma curiosidade pra vocês que há muito me fazia refletir, já vi diversas fotos de escritores com seus gatos e não entendia o porquê deles preferirem estes animais como bichos de estimação, e por isso a coluna será sobre por que os escritores preferem gatos!






Desde a antiguidade os povos egípcios adoravam os gatos, os atribuindo a uma deusa felina o poder de unir o céu e a terra, representados pelos deuses Ísis e Osíris.Na Pérsia acreditava-se que ao ferir um gato preto o homem estaria maltratando a si mesmo.
Na literatura os gatos sempre estiveram presentes. O poeta Charles Baudelaire adorava gatos e a eles dedicou famosos poemas e muitas horas de contemplação, sendo criticado por lhes dar mais atenção do que à sua família. 

O GATO
Vem cá, meu gato, aqui no meu regaço;
Guarda essas garras devagar,
E nos teus belos olhos de ágata e aço
Deixa-me aos poucos mergulhar.
Quando meus dedos cobrem de carícias
Tua cabeça e dócil torso,
E minha mão se embriaga nas delícias
De afagar-te o elétrico dorso,
Em sonho a vejo. Seu olhar, profundo
Como o teu, amável felino,
Qual dardo dilacera e fere fundo,
E, dos pés a cabeça, um fino
Ar sutil, um perfume que envenena
Envolve-lhe a carne morena.

(Charles Baudelaire)

Edgar Allan Poe escreveu “O gato preto”, considerado um dos contos mais admirados na literatura universal, em que mostra a dualidade no homem, afetividade e perversidade.
A lista de escritores que apreciam e escrevem sobre gatos é infinita, e sua imagem marca os textos literários trazendo lições de amizade, sabedoria e inspiração cabalística. 
Na conhecida lenda de Charles Perrault, o gato de botas é a herança recebida pelo filho mais novo de um moleiro, o qual, inicialmente decepcionado, irá perceber que um amigo leal e espirituoso vale muito mais do que as riquezas que poderia ter recebido.
Lewis Carrol eternizou o gato de Cheshire numa personagem sorridente e filosófica que dialoga com Alice no País das Maravilhas, enquanto some e reaparece. É através dele que a menina consegue compreender um pouco do que acontece com ela.
Na literatura brasileira, encontramos diversos exemplares do interesse dos escritores pelos felinos. Machado de Assis declarou: “O gato, que nunca leu Kant, é talvez um animal metafísico”.
No livro, As horas nuas, Lygia Fagundes Telles dá voz ao gato Rahul. Ele é uma personagem que pensa e traz reflexões sobre o comportamento dos humanos e a memória de um tempo em que acredita ter vivido outras vidas.


"Caviloso. Essa palavra saiu da moda mas deveria ser reconduzida, não existe melhor definição para a alma do felino. E certas pessoas que falam pouco e olham. Olham. Cavilosidade sugere esconderijo, cave aquele recôncavo onde o vinho envelhece. Na cave o gato se esconde, ele sabe do perigo."
( Lygia Fagundes Telles)


O poeta Ferreira Gullar diz ser falsa a ideia de que o gato não gosta do dono: “…ele é apenas mais sutil”.


"O gato é uma maquininha que a natureza inventou; tem pêlo, bigode, unhas e dentro tem um motor. Mas um motor diferente desses que tem nos bonecos porque o motor do gato não é um motor elétrico. É um motor afetivo que bate em seu coração por isso ele faz ronron para mostrar gratidão. No passado se dizia que esse ronron tão doce era causa de alergia pra quem sofria de tosse. Tudo bobagem, despeito, calúnias contra o bichinho: esse ronron em seu peito não é doença - é carinho.”
 (Ferreia Gullar)



Luiz Ruffato, um dos mais celebrados escritores brasileiros da atualidade, é um grande apreciador de gatos. Romancista com obras publicadas em diversas línguas, contista, ensaísta, poeta, jornalista, pesquisador, organizador de diversas antologias e, atualmente, curador da editora portuguesa Babel, Rufatto dá valor aos momentos de tranquilidade que consegue junto aos gatos, enquanto trabalha em seu gabinete.
Segundo Ruffato, os escritores se identificam com os gatos, porque, como eles, esses felinos são introspectivos e amigos do silêncio.


Pode-se citar também como exemplo atual, o livro O Príncipe Gato,  de Bento de Luca, que é parceiro do Magia, e que possui como protagonista da história um viajante felino.
Enfim, os gatos são silenciosos e passeiam com passos aveludados observando seus donos enquanto escrevem. Com seu olhar profundo e seus modos discretos, parecem ser a companhia ideal aos autores em processo de criação.  
Os gatos são conhecidos por sua independência. Escolhem a quem amar sem levar em conta a atenção que recebem.



"...Nós, gatos, já nascemos pobres 

Porém, já nascemos livres 

Senhor, senhora ou senhorio 
Felino, não reconhecerás ..."





E vocês, gostam de gatos?
Um beijão!!!


Fonte: PUCRS












17 comentários:

  1. Nossa que post legal...
    Eu não gosto de gatos...
    Acho eles meio interesseiros...

    Beijos, Luh
    ESCONDIDOS NO LIVRO!!!

    ResponderExcluir
  2. AMEIIIIIII ESSE POST!!!! DEMAIS DEMAIS DEMAIS MESMO!!!!
    Primeiro, eu amo gatos, sempre tive gatos, agora não tenho pq meu marido não gosta hehe ne~tao pra não dar briga não tenho gatos, mas eu amo esses bichinhos peludos fofos!!!!
    Percebi também que mtos escritores gostam de gatos, e possuem no enredo de suas estórias gatos.
    Segundo, cara quando escritor bom vc citou, eu admiro muito isso num blogueiro, quando vai além e cita e trás escritores renomados e às vezes pouco lidos para dentro de seus blogs, sou fã, amo de paixão literatura clássica, então esse seu post foi um deleite para mim.
    Ah eu estou fazendo um trabalho sobre o Luiz Ruffato, acabei de ler uma de suas obras e estou analisando, farei um artigo acadêmico para publicação em congressos de literatura, e essa nova informação de que ele gosta de gatos me será útil, já que em um de seus livros, ele personifica os animais, e estes revelam sentimentos mais com característica humana.
    Flor, lindo post!
    Amei!
    Bjs
    Daiane
    nouniversodaliteratura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Eu adoro gatos, acho eles tão companheiros quanto os cachorros, mas pena que mesmo meu marido sendo veterinário, ele não me deixa ter um gatinho, sniff.
    Já leu o livro Dewey, um gato entre livros.? É uma graça de livro, acho que você iria gostar...
    Ah, odeio o Cheshire, ele é muito sinistro, rsrs.

    Vanessa - Balaio

    ResponderExcluir
  4. Eu adoro gatos! Sempre quis ter um, miando pelos cantos da casa enquanto eu faço qualquer coisa.
    Mesmo assim, meu amor maior é pelos cachorrinhos mesmo! Tenho duas e são super companheiras!

    ResponderExcluir
  5. Confesso que não sou fã dos gatos na vida real e, pra piorar, descobri que sou alérgica a eles! Mas, na literatura, acho que funcionam mto bem, além de admirar a independência desses bichinhos!
    Ótimo post com excelentes quotes!
    Um beijo,
    Nica

    ResponderExcluir
  6. Gurias eu também não sou fã de gatos, prefiro os cães na verdade, mas fiz esse post por que os escritores estão sempre com seus gatinhos... ai resolvi colocar pra vocês essa amizade entre escritores e gatos!!!
    Um beijão e obrigada pelos comentários!!!!

    ^^

    ResponderExcluir
  7. Adorei, adorei, adoreeeei, Lara!
    Bom, pra começo de conversa eu tenho uma gata. Antes da minha gata, eu detestava esses felinos (sempre tão interesseiros e ariscos!). Aos poucos me deixei seduzir, conquistar pelo charme, pela inteligência e pelo carisma dos bichanos. Se deixarmos, eles se aproximam. se deixarmos eles nos seduzem mesmo!
    Hoje em dia, sou toda "Ownnns" quando vejo uma foto fofinha de um gato ou quando algum personagem das histórias que leio tem um gato.
    Não sei bem que mistério é esse que faz escritores se apegarem tanto aos gatos. Talvez (e digo isso por experiência própria), pela calma e serenidade que nos transmitem.

    Beijocas,

    Lu
    @LuPiras80
    www.equinocioaprimavera.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Sou completamente APAIXONADA por gatos *-*
    Já cheguei ao extremo de criar 11 rs.
    Amo animais, e amei o post.
    Amei seu cantinho e to seguindo seu blog, segue o meu?
    manuscritodecabeceira.blogspot.com
    Bjs.

    ResponderExcluir
  9. humm eu pefiro cachorros ^^
    adoro o gato de Alice no Pais das maravilhas & Lewis Carroll...
    Não tenho nada contra gatos, eles são fofos, mais eu prefiro cachorros... eles parecem mais amigos compalheiros..
    bjoos
    http://misturandoasmentes.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Você tem razão Lara. Acabei de ganhar um gatinho do meu vizinho. Estou me sentindo outra pessoa, minhas ideias fluem numa velocidade mais incrível que antes. Além de trabalhar em 2 livros completamente diferentes, estou observando-o para ver se transformo-o em um personagem infantil! O que você acha? Consegue imaginar "As Aventuras de Hércules, O Gatinho"?

    ResponderExcluir
  11. Boa noite Lara,

    Não gosto muito de gatos, mas gostei bastante do post, muito interessante, parabéns...abçs.


    http://devoradordeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Gosto de todo tipo de animal...
    Mas gatos não fazem muito meu tipo....
    Falo, corro, pulo, rio, e preciso de alguém que tenha o mesmo pique!
    Por essa razão AMO CACHORROS!!! *-*
    Tenho 07!
    kkkkkkkk
    A Greg e a Mê, que são pais dos outros 5, Marrí, Susi, Malú, Baluzinho e Flecha.
    Tinha a Babi, mas ela faleceu com 8 meses de um dia para o outro.... Chorei tanto ='(

    Minha pulguentada é muito agitada!
    Mas nunca atrapalham quando estou lendo!

    Eu gosto de ler deitada no tapete do meu quarto...
    E de vez em quando algum deles deita do meu lado querendo uma cóceguinha na barriga hihihi
    Aiiii eu não aguento toda aquela fofura e sou obrigada a largar o livro para brincar com eles! kkkk

    Mas isso faz sentido!
    Gatos são silenciosos, e é isso que qualquer escritor precisa!

    Bjuuuu

    ResponderExcluir
  13. Eu AMO gatos! Tenho a Marie, minha gatinha linda. Concordo que os gatos sejam mais amigos dos escritores. Escritores precisam de silêncio e concentração para escrever. Gatos são silenciosos,apenas deitem num cantinho (ou no nosso colo) e não incomoda mais. Os cachorros adoram latir e chamar para brincar, por isso eles não devem ser tão populares para aqueles que escreve. Mas eu amo cachorros também. Tenho três aqui em casa.. *-*
    Adorei o post e gostei muito do blog.
    Beijos!
    http://lereaminhapraia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Tenho dois gatos e sou apaixonada por eles *-*
    Meus companheiros mesmo!

    Beeijos

    http://bibliotecadaolly.blogspot.com.br


    ResponderExcluir
  15. Não fujo à regra, sou uma quase escritora que gosta de gatos - mas infelizmente por enquanto não posso ter em casa (logo eu, que nunca morei em uma casa sem gatos em toda minha vida). Adoro esses bichinhos, embora sem exageros.

    ResponderExcluir
  16. Amo gatos,tenho tres.Realmente os gatos são uma fonte de inspiração;nas minhas aventuras no mundo da escrita aprecio a companhia de um gato eles são sempre tão estáticos e manhosos...Enfim amo estes bichanos e a paz que eles nos passam.Os cachorros já são uma companhia nas horas de tristeza.

    ResponderExcluir
  17. ah não poderia deixar de citar o livro "eu sou um gato" que comecei a ler e que amei.O narrador do livro é um gato (literalmente "gato",ele não tem nome).Comecei a ler o livro e achei a escrita meio triste,mas ao mesmo tempo boa.o autor é NATSUME SOKEKI.bEIJOS AMEI O POST.

    ResponderExcluir